Brasil  
acesso à informação Brasil
Companhia das Docas do Estado da Bahia
Notícias
Tamanho da letra   Compartilhe Imprimir
25/04/2012 09:00
Investimentos destacam a Codeba em feira internacional de logística

A Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba), responsável pela administração dos portos de Salvador, Aratu e Ilhéus, marcou a presença na 18ª Intermodal South America – Feira Internacional de Logística, a maior feira de logística das Américas, Transporte de Cargas e Comércio Exterior. O evento, é o mais importantes do setor, aconteceu de 10 a 12 de abril, no Transamérica Expo Center, em São Paulo-SP.

Com um stand moderno, a Codeba divulgou para o mercado as potencialidades dos três portos baianos, em especial dos portos de Salvador e Aratu, instalados na Baía de Todos os Santos, assim como os projetos de requalificação estrutural que estão sendo desenvolvidos para a melhoria na competitividade. Os investimentos em infraestrutura ganharam destaque, através da demonstração detalhada de melhorias previstas para o complexo portuário, durante os próximos anos.

O stand da Codeba foi um dos mais visitados pelas autoridades portuárias do país, entre elas, o ministro chefe da Secretaria de Portos da Presidência da República, José Leônidas de Menezes Cristino, e o diretor geral da Antaq, Tiago Lima. O evento contou com mais de 550 expositores de todos os segmentos, de 22 países diferentes. Segundo a organização, passaram pela feira cerca de 45 mil visitantes durante os três dias de evento. O stand da Codeba teve aproximadamente 2 mil pessoas por dia.

O objetivo da participação da Codeba na Feira foi demonstrar as potencialidades da Baía de Todos os Santos, sua importância logística no transporte e comércio de cargas mundiais e o crescimento dos três portos públicos baianos. “Foi uma grande oportunidade de apresentar ao mercado nacional e internacional, as potencialidades da nossa Baía e o que o estado tem a oferecer, em termos de infraestrutura logística, ao setor industrial e portuário”, ressaltou José Rebouças, diretor presidente da Codeba.

Segundo o presidente da Codeba, foram movimentadas cerca de 32 milhões de toneladas de cargas na Baía de Todos os Santos em 2011. Diante dessa demanda, a Codeba está investindo, com recursos públicos e privados, cerca de R$ 2 bilhões na infraestrutura em seus portos. Neste e nos próximos anos, os portos de Salvador, Aratu e Ilhéus (este o único administrado pela Codeba fora da Baía de Todos os Santos) têm projetos de expansão, renovação e aprimoramento de seus terminais.

Novos investimentos

O Porto de Salvador já concluiu a obra de dragagem de aprofundamento para 15 m, com custo de R$ 55 milhões. Foram investidos R$ 160 milhões em novos equipamentos para seu terminal de contêineres, o que vai ampliar a movimentação de 250 mil TEU’s para 530 mil TEU’s/ por ano. Entre os equipamentos adquiridos estão três novos portêineres com capacidade Super Post Panamax, guindastes de carga e descarga, e seis RTG’s, que são pontes de rolagem que fazem a movimentação dos contêineres sobre o pátio. Além disso, está prevista a ampliação do quebra-mar Norte em 405 metros.

Outra realização importante é a construção da Estação Marítima de Navios de Cruzeiros. Com investimentos na ordem de R$ 36 milhões, ela vai proporcionar conforto e funcionalidade aos passageiros que aportarem em Salvador. A previsão de conclusão é maio de 2013, quando o porto completa 100 anos. Está em andamento também a conclusão da Via Expressa Baía de Todos os Santos. Esta obra, que será entregue ainda este ano, vai ligar o Porto de Salvador à BR-324, principal via de acesso à cidade, e terá um custo total de R$ 390 milhões.

Já em Aratu, porto-indústria responsável por 61% da receita da Codeba, terminou em 2010 a derrocagem de aprofundamento para – 15 metros, obra de R$ 60 milhões, e tem projeto para construir um novo terminal de granéis sólidos, com foco em minérios como ferro e manganês, na ordem de R$ 400 milhões, sendo R$ 150 milhões de investimentos públicos. Haverá ainda a ampliação da área de tancagem de líquidos e a construção dois novos berços de atracação, o que vai custar R$ 100 milhões para empresas privadas investidoras do porto.

Pensando na questão ambiental, há R$ 35 milhões a serem investidos na descontaminação geral, construção de área de resíduos e estação de tratamento de efluentes, entre outras melhorias. Tal grandiosidade de investimentos é explicada pelas qualidades da Baía de Todos os Santos. Ela apresenta excelentes condições naturais, águas abrigadas, boa visibilidade e canais internos com largura e profundidade que facilitam e barateiam as condições de atracação. Possui também localização geográfica estratégica, perto da Europa e da África, no meio do caminho da rota do MERCOSUL.

A baía que durante 300 anos foi o principal porto de entrada e de saída de produtos vindos de todos os continentes para as Américas, deslancha para recuperar posição de destaque nas rotas internacionais de navegação. Além dos portos administrados pela Codeba, a Baía de Todos os Santos abriga mais cinco terminais portuários, controlados por empresas privadas: Petrobrás, Dias Branco, Dow Química, Ford e Gerdau.

O Porto de Ilhéus, também administado pela Codeba,  movimentou 310 mil toneladas de cargas em 2011. O Terminal também passará por obras de ampliação. A verba pública total para melhorias é de R$ 200 milhões e será aplicada na construção de nova plataforma de acostagem e aterro, melhoria da acessibilidade, dragagem de aprofundamento e compensação ambiental para as praias do Norte.



Fotos

Tamanho da letra   Compartilhe Imprimir




Últimas Notícias
O que você procura?
Selecione um Assunto
Seções mais Acessadas
Encontre Aqui